Buscar

Agrosmart: a startup que uniu tecnologia e agricultura.


Filha de um produtor rural, Mariana Vasconcelos acompanhava, desde cedo, os desafios do dia a dia no campo. A garota que cresceu assistindo a dedicação constante de seus familiares com a plantação, depois de adulta atuou em diversas áreas digitais e hoje trabalha com o conceito de geração de dados no setor industrial.


Formada em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Itajubá/MG (UNIFEI), Mariana Vasconcelos, encontrou uma forma de integrar a área de tecnologia à agricultura e fundou, com os sócios Raphael Pizzi e Thales Nicoleti, a Agrosmart, empresa que monitora plantações para auxiliar o agricultor em uma melhor tomada de decisão.


Pouco depois de inaugurar, a Agrosmart entrou para o programa de aceleração do Start-Up Brasil, uma iniciativa do governo federal. Até o fim de 2015 (cerca de um ano), os empreendedores refinaram seu modelo de negócio na parte agronômica. Isso incluiu a opção por investir mais em recomendações, como comentado no tópico anterior. No começo deste ano, a Agrosmart também foi uma das startups selecionadas para integrar a primeira turma do Google Launchpad Accelerator – saiba mais sobre o programa e veja uma breve entrevista que fizemos com a Agrosmart na época.


No Google, o foco foi tecnologia: foi preciso refinar o produto com mudanças no site de acesso, incluindo suporte mobile, e na própria programação do software. Também no início de 2016, o negócio recebeu um investimento da SP Ventures, fundo de venture capital paulista.


A Agrosmart atua no monitoramento de plantações fornecendo informações em tempo real aos agricultores, de forma a ajudar nas tomadas de decisão para garantir o melhor proveito de cada safra. Unindo tecnologia e agricultura, a startup também ajuda a tornar a produção agrícola mais sustentável, com uso responsável de água, por exemplo. Através do monitoramento das plantações, é possível ser mais eficiente e econômico no uso dos recursos naturais.


A empresa desenvolveu uma ferramenta cujo principal objetivo é proporcionar uma economia de até 60% no uso da água e 30% no uso da energia necessária para a irrigação de espaços rurais, impactando consideravelmente os lucros e otimizando os recursos naturais. O aplicativo é capaz de monitorar, por meio de sensores na terra, mais de dez variações ambientais, como chuva e umidade do solo. Em seguida é feito um relatório com recomendações ao agricultor em relação à quantidade de irrigação necessária para sua plantação, além da propensão de pragas e doenças. O sistema ainda oferece mais flexibilidade para o produtor rural, que consegue se manter conectado com sua plantação e, ainda assim, realizar outras tarefas, já que não é necessário estar 100% do tempo no campo.


Sediada em Campinas, a startup possui clientes de todos os tamanhos, desde hortifrutis até grandes produtores, como os de grãos, conta com mais de 30 colaboradores. Mariana Vasconcelos, CEO da Agrosmart, foi selecionada pelo MIT Technology Review 2018 como uma dos 35 jovens mais inovadores da América Latina. Além disso, o negócio dos empreendedores chamou a atenção até mesmo da NASA, a agência espacial americana. No ano passado, Vasconcelos foi selecionada como bolsista na Singularity University, após vencer o concurso de soluções hídricas Call to Innovation.


#inovação #startup #empreendedorismo #agricultura #minasgerais #unifacig

33 visualizações
Contato
Endereço

Prof. Juventino Nunes, 108

Manhuaçu - MG - 36.900-040

coffeevalley@unifacig.edu.br

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • Branca Ícone Instagram

© 2019 by UniFacig